Notícias do dia 16 de Outubro/2015

# 1 – Confira o que disse o baixista Dave Ellefson sobre Kiko Loureiro, seu atual companheiro de banda, no Megadeth.

e

Logo após divulgar a capa, o nome e o tracklist do novo álbum Dystopia, que contará com a estréia do brasileiro Kiko Loureiro nas guitarras e de Chris Adler nas baquetas, o Megadeth iniciou a turnê de divulgação do disco de uma forma não muito esperada. Em menos de uma semana, ao divulgar seu novo single “Fatal Illusion”, a banda teve ainda, seu show censurado em Pequim, com a retirada de alguns clássicos como “Holy Wars” do set list chinês. Tudo por culpa da letra da música, que foi considerada politicamente inapropriada para o país.

A chegada de Kiko parece ter trazido um pouco de emoção aos trabalhos do grupo. Esses fatos e outros detalhes foram tratados pelo baixista Dave Ellefson em entrevista para o site Loudwire. Na conversa, Ellefson falou também sobre o que o guitarrista brasileiro acrescentou ao Megadeth com sua chegada.

Ellefson disse: “Kiko é um músico fantástico, com um ouvido muito preciso. Lembro que eu e Mustaine estávamos trabalhando em linhas para o baixo, procurando a nota correta, quando, do nada, Kiko aparece e diz “dó sustenido é o que vocês procuram”. Ele consegue ouvir tudo, tem muita habilidade harmônica, além de ser ótimo no piano e fenomenal em violão com cordas de náilon. Na verdade, isso que fez Dave se interessar por ele ao me perguntar sobre o que eu achava. Ele nos leva a outro patamar músical. Antes dele entrar no Megadeth, havia tocado com ele na América do Sul e lá, consegui ver como era um bom guitarrista, além de um cara legal, o que é muito importante.

Depois dos elogios de Ellefson para com o guitarrista brasileiro, confira abaixo, se você ainda não ouviu, o primeiro single e registro da contribuição musical de Kiko junto a banda. Aperte o play, “Fatal Illusion”.

Notícias do dia 15 de Outubro/2015

# 1 – Os vocalistas que Bruce Dickinson admira.

ww

Para os fãs do frontman e vocalista Bruce Dickinson não é novidade nenhuma sua admiração por Ronnie James Dio, em especial, pela influência do álbum “Rising”, do Rainbow, e o que ele significou para o início da carreira do músico do Maiden.

Porém, Bruce em entrevista recente para o site Loudwire, citou outros grandes nomes do microfone no mundo do Rock e pelos quais tem profundo respeito. Cabe aqui, uma análise do quão profunda foi a influência setentista do hard rock na carreira dos músicos do metal e do hard rock na década seguinte.

Bruce comentou: “Em primeiro lugar, Ronnie James Dio. É uma lenda. Quando tinha 16 anos, ouvia o álbum Rainbow Rising e me perguntava “quem era esse cara?”. Antes dele, veio Ian Gillan, com o “Made In Japan”, do Deep Purple, e sua vibração. Também gosto do início da carreira de Robert Plant, os primeiros discos do Led Zeppelin. Minhas primeiras memórias são de assistí-los na televisão. Era algo muito cru, direto.

Como citou Bruce, abaixo vai uma homenagem do próprio para com a eterna voz do Purple, em sua melhor forma. Confira esse cover impecável de Perfect Strangers.

Notícias do dia 14 de Outubro/2015

# 1 – Atual baterista do Journey e do super-grupo “Revolution Saints”, Deen Castronovo é condenado à 4 anos de prisão.

dl

Deen que recentemente havia sido acusado por ameaças, agressão e tentativa de estupro para com a sua esposa, além de porte ilegal de armas, voltou a julgamento, após desobedecer ordens judiciais pré-indicadas.

Não sendo réu primário, mas sim, reincidente nas acusações, o músico, que vinha divulgando seu recente trabalho com o grupo Revolution Saints, ao lado de Doug Aldrich (ex-Whitesnake e DIO) e Jack Blades (Night Ranger), estava também planejando uma nova turnê com o Journey.

Conhecido por alinhar uma técnica invejável ao cantar enquanto toca sua bateria de forma precisa, Castronovo volta às grades por mais um caso de violência doméstica. Fato extremamente negativo para a carreira do músico e para a continuidade do trabalho dos grupos o qual o baterista participa.

Passado esse primeiro julgamento, ainda cabe a seus advogados recorrer e tentar reduzir a pena, porém até segunda ordem judicial, caso descumpra as regras novamente, terá sua reclusão aumentada.

O Journey, porém, já anunciou Omar Hakin para assumir o seu posto nas baquetas. Veja abaixo, um pouco do que Deen era capaz, antes de parar no chilindró.

Notícias do dia 13 de Outubro/2015

# 1 – Richie Kotzen comenta detalhes das polêmicas e memórias dos tempos que passou com o Poison.

hh

Kotzen nos tempos do Poison

Com o lançamento do novo álbum do The Winery Dogs, “Hot Streak”, na semana passada, Richie Kotzen, vem provando para qualquer um, que merecia um reconhecimento maior há muito tempo. Com uma carreira sólida de mais de 20 discos, o músico multi-instrumentista e exímio vocalista e guitarrista, comentou no podcast “Another FN with Izzy Presley” sobre seu novo trabalho com o power-trio e sobre seu último álbum solo “Cannibals” e suas crescentes influências junto ao R&B e Jazz.

Porém, dentre todas as perguntas e respostas, as relacionadas ao seu passado com o Poison, foram as de maior destaque. Kotzen, não se “esquivou” das polêmicas anteriores e explicou o porquê aquela experiência junto à banda de Glam Rock, foi crucial para o crescimento de sua carreira como músico solo.

Nas palavras do próprio Kotzen: “Tenho grandes memórias daquela época. Fizemos um disco incrível, passei de um cara conhecido por um pequeno grupo de pessoas para alguém famoso. “Eles deixaram com que minha criatividade fluísse. “Native Tongue” poderia ter sido um álbum solo, a única diferença é que escrevi as letras com Brett Michaels.”

Continuando, Kotzen explica a relação com os músicos: “Eles não poderiam ter me tratado melhor durante o processo. Estava em uma gravadora onde seria um problema gastar mais de 20 mil na gravação. De repente, o Poison tinha um orçamento de 2,5 milhões. O trabalho foi incrível. O problema foi quando caímos na estrada e me dei conta que não era a minha banda. Estávamos tocando só duas ou três músicas novas, além das antigas que, não eram ruins, mas não se conectavam emocionalmente comigo. Depois tudo aconteceu e eu fui embora. Mas na gravação, divulgação, os videoclipes, tudo o que fizemos antes da turnê, foi fantástico”.

Ao ser questionado quanto às polêmicas relacionadas ao seu envolvimento amoroso com a ex-noiva do baterista Rikki Rocket, Kotzen deixa claro que isso é coisa do passado e foi superado. Ele explica: “Sempre que encontro Brett ele me abraça, diz o quanto gosta de mim e me parabeniza pelo meu trabalho. Com Bobby (baixista) várias vezes também e com Rikki em uma ocasião, nos cumprimentamos e apertamos as mãos. Tudo está bem, o que realmente aconteceu no passado, acabou sendo aumentado à época. Eles precisavam de uma boa história, pois a turnê não estava repercutindo e a banda estava indo para o buraco. Mas hoje, estamos em bons momentos”.

“Tititi” à parte, Kotzen já demonstrava ao mundo o quanto era um músico genial, desde os tempos de Poison. Confira uma das performances de “Stand” em um dos shows que o músico realizou no Brasil e que contou com a produção de um grande amigo meu.

Notícias do dia 09 de Outubro/2015

# 1 – Dee Snider será um “fantasma” no novo álbum do Avantasia, segundo Tobias Sammet. É isso mesmo!!!

w

Camiseta em homenagem ao “Hermes & Renato”???

Com a volta triunfal de Dee Snider aos palcos regularmente, demonstrando que ainda tem muita energia pra queimar e muito fôlego em quase tudo o que participa. O frontman e fundador dos maquiados do Twisted Sister não para de anunciar parcerias musicais, sejam elas em shows, festivais e até com declarações polêmicas junto a outros artistas.

Já nos anos 80, demonstrando não ter “língua presa” e encarando o Congresso americano e a então esposa de Al Gore contra o sistema de censura federal à bandas de metal, que na época chegaram a ser consideradas influência principal em uma série de suicídios juvenis (Ozzy e sua “Suicide Solution” que o diga), Dee Snider, parece querer estar sempre na mídia.

Desconsiderando as fofocas e as polêmicas a parte, no que tange a influência musical, o vocalista ainda hoje é um dos melhores no quesito presença de palco. A última apresentação junto ao Angra no Rock In Rio foi prova disso, Dee esbanjou empolgação e levantou o público do metal com os clássicos hinos do hard oitentista: “I wanna rock” e “We’re not gonna take it”.

A parceria com o power metal parece que vai gerar mais frutos. Dessa vez, foi Tobias Sammet que confirmou Dee como mais um vocalista convidado do novo álbum da ópera-band Avantasia, “Ghostlights”. Dividindo os palcos com Geoff Tate, Jorn Lande, Bob Catley, Michael Kiske e muitos outros, de acordo com Sammet, Snider, fará o papel de um fantasma na trama. É mole? Por essa vale a pena esperar.

Se você só conhece o cara pelo seu legado no Twisted Sister (o que por si só já seria suficiente), também confira abaixo Snider, em um dos seus extintos projetos do cara, The Widowmaker. Pedrada pura.

Notícias do dia 08 de Outubro/2015

# 1 –  Confira a animação criada para o vídeo da canção “The Girl In The Yellow Dress”, do novo álbum de David Gilmour.

ee

David Gilmour voltou com sua carreira solo de forma majestosa. Digna de um monarca do Rock, a repercussão de seu novo disco “Rattle That Lock” é das melhores possíveis. Após atingir na semana passada o número 1 na parada britânica e o top 10 nos charts americanos, o disco também lidera as listas da Itália, França, Suécia, Nova Zelândia, Noruega e Bélgica. Como um verdadeiro gentleman, o músico britânico fez questão de agradecer aos fãs em nota oficial a posição conquistada e os seus quase 20 mil exemplares à frente do segundo colocado, que é o disco da cantora pop Lana Del Rey. Em tempos em que o Rock parece sobreviver do underground, os titãs do passado ainda deixam seu rastro por onde pisam.

Seguindo a onda de divulgação do disco e da turnê que começou recentemente, inclusive com 4 shows garantidos no Brasil para o final do ano (2 em Sampa), o músico que já havia divulgado vídeos do making off das gravações, uma pequena entrevista promocional, os clipes da música-título e da canção “Today”, agora, acaba por divulgar mais um videoclipe.Para a canção “The Girl In The Yellow Dress”,uma espécie de animação foi desenvolvida para contar o que se passa na letra. Méritos absolutos dos produtores, que com o smooth jazz da música, conseguiram conectar a animação de forma magistral com a melodia.

Para você que ainda não garantiu seus ingressos, como diria minha avó, “dê seus pulos”, porque essa pode ser – literalmente –  a última oportunidade de ver Gilmour tocando clássicos do Floyd em um concerto. Já para você que está contando os dias para o show, confira o novo clipe abaixo para ajudar na ansiedade.

Notícias do dia 06 de Outubro/2015

# 1 –  Zakk Wylde fala de novo álbum em 2016, parecido com o solo-acústico “Book Of Shadows”.

rr

Ainda divulgando o último álbum com o Black Label Society, “Catacombs of The Black Vatican”, Zakk Wylde, anunciou em entrevista para o site Loudwire a intenção de produzir no ano que vem um álbum no estilo do clássico acústico-solo “Book Of Shadows”.

Anunciando que até o fim do ano cumpre datas com o BLS, na Austrália, Nova Zelândia e Ásia, questionado se estava gravando algo, Zakk deu detalhes dos projetos futuros:

“ Sim. Nos temos 28 músicas. É algo parecido com o “Book of Shadows” ou com o lado mais melódico. Eu adoro fazer coisas melódicas tanto quanto trabalhar em canções pesadas.”

Zakk ainda brincou dizendo que para selecionar entre 12 e 15 canções que irão compor o álbum, ele pedirá a opinião de amigos e companheiros de banda que ajudarão escolher as preferidas e as mais potencialmente eróticas, para que assim que tocá-las, todos fiquem de certa forma “entusiasmados”. “Algo parecido com a Madonna”, o músico satirizou.

Para aqueles que celebram o início da carreira do guitarrista, em especial, suas influências mais melódicas, que comece desde já a contagem regressiva para esse novo álbum acústico.

O vídeo abaixo mostra um jovem Zakk e o que podemos esperar com o novo álbum. É esperar para ouvir.

Notícias do dia 05 de Outubro/2015

# 1 – Em carta aberta, Roger Waters dessa vez, detona Bon Jovi.

eee

Seguindo cada vez mais seus instintos e declarando publicamente sua completa negação ao governo de Israel, em especial, sua política externa junto à Palestina, Roger Waters, assim como fez com Caetano Veloso e Gilberto Gil, dessa vez, escreveu uma carta diretamente para o Bon Jovi.

Roger, já havia solicitado para que a banda cancelasse sua apresentação em solo israelense, assim como fez com todos os artistas que aceitaram tocar no país nos últimos meses. Antes do show, que foi realizado ontem (3 de Outubro) em Tel Aviv, Jon Bon Jovi, por meio de seus assessores respondeu à Waters, informando que estava muito empolgado por tocar em um país que ainda não havia visitado e que não cancelaria o show pelos fãs locais.

Logos após as declarações oficiais da banda, em uma nota pública, Roger expressou seu descontentamento em mais uma carta aberta, que você pode conferir abaixo.

Polêmica ou não, a indignação de Waters, parece ser extremamente sincera pelo menos. Confira abaixo:

“Estimados Jon Bon Jovi, David Bryan e Tico Torres

No passado, escrevi cartas detalhadas e, às vezes, persuasivas, a colegas do show business, os encorajando a não ceder às políticas segregadoras do governo israelense ao se apresentar no país. Após ler os comentários de Jon, não vou traçar paralelos com o apartheid sul-africano. Apenas direi que vocês se igualam…

Ao soldado que incendiou um bebê vivo.

Ao piloto do tanque de guerra que esmagou Rachel Corrie.

Ao soldado que atirou nos pés do jogador de futebol.

Ao marinheiro que afogou garotos na praia.

Ao sniper que matou um garoto por estar com uma camiseta verde.

Ao que esvaziou seu pente de balas em uma garota de 13 anos.

E ao ministro que prega o genocídio.

Vocês tiveram a chance de ficar ao lado da justiça.

Com o piloto que se recusou a bombardear um campo de refugiados.

Com o jovem que preferiu ter oito mandados de prisão a servir o exército.

Com o prisioneiro que fugiu por 226 dias até a liberdade.

Com o médico banido por salvar vidas.

Com o fazendeiro vitimado por ir até o muro das lamentações.

Com a criança sem pernas crescendo nos escombros.

E as outras 550 que nem crescerão, graças a mísseis, tanques e balas que enviamos.

Os mortos não lembram os crimes que vocês ignoram. Mas, não vamos esquecer que permanecer silencioso e indiferente é o pior dos crimes.”

Roger Waters

Notícias do dia 01 de Outubro/2015

# 1 – Sammy Hagar comenta em entrevista, a necessidade de produzir um terceiro álbum com o Chickenfoot.

In this Saturday, Feb. 22, 2014 photo, musician Sammy Hagar holds a bottle of his Beach Bar Rum, and a mojito made with the rum, during an interview in Miami. Hagar, known as the "Red Rocker" and lead singer of the band Van Halen, sold his part of the Cabo Wabo Tequila company not long ago and turned his attention to rum. Sammy's Beach Bar Rum is made in Hawaii, where Hagar has a home. (AP Photo/Lynne Sladky)

Cheers!!!

Nos seus quase 70 anos, Sammy Hagar, continua mais ativo do que nunca no mundo da música e dos negócios. Mesclando seu trabalho como dono de restaurante, produtor de tequila, rum e vocalista de bandas como The Circle e Chickenfoot, Sammy, anunciou recentemente, não querer parar tão cedo e assim que possível pensar em um terceiro álbum para o “pé de galinha

Em entrevista ao site “Ultimate Classic Rock”, Hagar, disse que no momento está relutante em iniciar um novo trabalho com o Chickenfoot mesmo com a confirmação recente de Joe Satriani quanto à produção dos envolvidos em uma nova canção à distância. O motivo? É o seu projeto, The Circle, que conta com Jason Bonham nas baquetas, Michael Antony no baixo também e Vic Johnson nas guitarras, mandando ver clássicos do Led, Montrose e até Van Halen.

Hagar explicou: “Eu adoro o Chickenfoot. Está sendo para mim, porém, muito importante tocar toda minha carreira com o The Circle.

“O Chickenfoot, deve ser a mais criativa banda que eu já estive. Eu acho que mais criativa que o Van Halen.  Joe é muito prolífico. Ter um cara como esse na banda é, incrivelmente, prolífico. Eu nunca vi um músico na minha vida como ele – porque ele escreve, compõe e estuda. Ele é um professor, então ele teoriza sobre música.”

“Mike e Chad são grandes também, não me leve a mal… Eu preciso fazer outra gravação com essa banda, porque isso será muito criativo…”.

Depois de não poupar elogios aos seus colegas de banda, tudo leva a crer que só depende de um pouco mais de tempo para o Chickenfoot e Sammy Hagar começar a gravar um novo trabalho logo, logo.

Enquanto os amigos não se reúnem, confira o que eles faziam até pouco tempo atrás com esse clássico do Deep Purple.

 

Notícias do dia 30 de Setembro/2015

# 1 – Confira novo clipe do projeto Motor Sister, que conta com integrantes do Anthrax, The Cult, Armored Saint e Mother Superior.

ee

O projeto Motor Sister, formado pelo guitarrista do Anthrax, Scott Ian, sua esposa, Pearl Aday (então filha de Meat Loaf), o batera John Tempesta (atual The Cult, ex-Exodus e Testament), o baixista Joey Vera (Fates Warning e Armored Saint) e o vocalista Jim Wilson (Mother Superior), teve seu primeiro registro oficialmente lançado em Março desse ano.

Formado em 2013, em uma reunião sem compromisso entre Ian, Wilson e o baixista Daniel Lanois para tocar músicas do Mother Superior, o grupo passou a se organizar cada vez mais e a compor novas canções.

O recente álbum de estúdio, “Ride”, não recebeu grande divulgação, já que todos os envolvidos estavam com seus principais projetos em ação. A fim de divulgar mais o trabalho da super-banda, essa semana ocorreu o lançamento do primeiro videoclipe do grupo, com a canção “This Songs Reminds Me Of You”. Se você não sabia da existência do Motor Sister, confira o vídeo abaixo, a capa e o tracklist do álbum de estréia.

Track list, álbum “Ride”:

  1. A-Hole
  2. This Song Reminds Me Of You
  3. Beg Borrow Steal
  4. Fool Around
  5. Get That Girl
  6. Head Hanging Low
  7. Fork In The Road
  8. Little Motor Sister
  9. Pretty In The Morning
  10. Whore
  11. Doghouse
  12. Devil Wind